Mostrando postagens com marcador capitalismo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador capitalismo. Mostrar todas as postagens

sábado, 11 de abril de 2020

escuta só


Fausto, Eduardo Arroyo, 1975



dizem as boas línguas que
a continuarmos alimentando o capitalismo e seus filhotes
(a saber: o latifúndio, agronegócio, mineração destrutiva,
políticos integristas e seus aliados neo pentecostais
com sua “eficiente” teologia da prosperidade)
não…
não teremos salvação.

nessa pisada
é bom tirar o cavalinho da chuva
duvido deus algum que nos salve

eis que estamos sob a mercê de entidade
pior que aquele carrasco sádico do velho testamento
conhecido como jeová, lembra?

é que acendeu ao trono de todas as terras e céus
um subjugador de deidades
o supra-sumo-hiper-mega-blaster
senhor deus supremo divino Mercado

jesus, buda krishna, alá… tudo isto é passado
estas antigas entidades vacilaram
esqueceram do futuro
e agora
ou renderão obediência ao mestre
ou se lixem na escuridão sofrida do esquecimento

o mundo sob este novo jugo está condenado
não digo à extinção literal
mas do jeito que caminha
há de se transformar numa imensa zumbilândia
onde “ilhas de prosperidade”
(cada vez mais minúsculas)
habitadas por arquimultimilhiardários
dispõem de todos os recursos
enquanto à maioria absoluta da população sobra
para se digladiar nas esquinas
por um mínimo que lhes possibilite sobreviver
num mundo feio, fedido, barulhento
violento, dissoluto e suicida.

a distopia mais sinistra
(que nunca os cronistas antigos imaginaram)
acabou por reinventar o apocalipse… portanto,
esqueçam a ascensão
porque hoje vivemos uma imensa e tumultuada
descida compulsória aos infernos…

heinrich faust é o nome danado de tal demônio
mephisto é o seu mestre
gretchen somos nós