Mostrando postagens com marcador Instante. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Instante. Mostrar todas as postagens

sábado, 8 de janeiro de 2022

instante 45

 

At the End of the Way, Ilse D'Hollander, 1995




acordarei amanhã

mortinho da silva…


o tio do pavê

tem mais importância

que cientista da sbpc…


não há de ser nada,

o cálculo acaba

com o malacabado



sábado, 29 de agosto de 2020

brevidade

Dance of Eternal Love, Toshi Yoshida, 1970



o poema

dispensa a lógica

desaprecia negociar lisonjas

quem disse que o poema deva ser cornucópia

de falácias, sofismas, trapaças, barriga, burlas…

ou vire ruína

pela necessidade, vaidade, medo, ânsia

urgência, fome, sede, conservação

preservação, manutenção…?


que olhe apenas a natureza

o poema

sem qualquer conluio a priori

ou impostura

de métrica

de rima… para que a medida no poema?


o poema acontece

espontâneo...

o verso é que nem festa

        surpresa

estrofe fortuita

        ocasional afeto

simples beijo...

poema é bônus

           todo o resto é engenho

gasto

a se amar por instante

na brevidade

        dessa infinita

                eternidade