Mostrando postagens com marcador Alma. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Alma. Mostrar todas as postagens

sábado, 12 de fevereiro de 2022

amor e alma

 

Love and Psyche, Henrik Siemiradzki, 1894




o amor nada tem de silencioso

senhor

o amor é ruidoso

qual sinfonia do amanhecer

onde a natureza

e o engenho humano,

celebram o milagre da vida…


o amor é barulhento, nervoso

diga-nos o amante,

incontido,

que quer que todos saibam

da sua alegria e prazer

quando a paixão começa

e do seu desespero e mágoa

assim que o amor acaba


diante dessa travessa divindade

apenas os descrentes,

ignorantes da agonia gozosa da vida,

silenciam – tão pobres e frios,

insensíveis à centelha

que faz arder desígnios buliçosos

em nossa decantada alma



sábado, 31 de julho de 2021

instante 43

 

Indoor Dialogue, Wojciech Siudmak, séc.XX


oh, minha alma

quantas vezes te encontro seca

vazia de propósito

rio cansado de fluir...


sem tu alma,

seria fato existir?


logo, porque não me acodes

quando te busco

desprovido de inspiração?


és algo fora do mim

ou teria que clamar

ai de mim”

para perceber enfim?


contínuo, carente, sigo

enorme

ignorante

e confuso drama